ANTAQ realiza audiência pública sobre licitação de terminal do Porto de Vitória

O terminal, localizado no Cais de Capuaba, em Vila Velha, vai movimentar granéis líquidos (combustíveis).
O presidente da Comissão de Licitação e superintendente de Regulação da ANTAQ, Bruno Pinheiro, falou sobre o terminal. Fotos: Divulgação Codesa.

A Agência Nacional de Transportes Aquaviários – ANTAQ realizou na tarde de ontem (15) a audiência pública para o debate sobre a implantação do Terminal de Granel Líquido (TGL), no Cais de Capuaba, em Vila Velha, Espírito Santo. Foi a primeira audiência presencial e o auditório do Porto de Vitória ficou lotado. Cerca de 60 pessoas participaram do evento, entre agentes e operadores portuários, sindicalistas, representantes das comunidades do entorno de Capuaba e autoridades federais e estaduais.

A audiência foi conduzida pelo diretor da ANTAQ, Francisval Mendes, e contou com a presença do presidente da Companhia Docas do Espírito Santo – Codesa, Luis Claudio Montenegro, e demais diretores da Companhia. Foram apresentadas as minutas jurídicas e técnicas para o debate da licitação referente ao arrendamento de terminal portuário, destinado à movimentação de granéis líquidos combustíveis. O evento durou cerca de 1h10.

O diretor da ANTAQ, Francisval Mendes, destacou que a função da Agência é gerar desenvolvimento e crescimento econômico ao Brasil. Na área do Porto de Vitória será feita movimentação superior a R$ 117 milhões. Para Mendes o evento é de grande importância para evolução do processo. “Esta é uma forma de adicionar as contribuições da população e dos empresários ao estudo que já vem sendo feito. Tudo vem somar. As indagações e sugestões serão analisadas e, após, serão deferidas e adicionadas às minutas”, explicou.

O presidente da Codesa, Luis Claudio Montenegro, falou sobre os benefícios para a população com a criação do TGL e enfatizou que este projeto é importante para a utilização de área ociosa do Porto: “Estamos caminhando no projeto, vencendo mais um passo. Esta é mais uma ação de um conjunto de ações para o crescimento e desenvolvimento do Porto, sendo uma demanda da sociedade. A criação do TGL vai garantir uma logística mais eficiente, gerando preços mais acessíveis e solucionando o problema da falta de combustíveis”, concluiu Montenegro.

Cerca de 60 pessoas participaram da audiência pública no auditório da Companhia Docas do Espírito Santo.

Além do presidente da CODESA e do diretor da ANTAQ, também fizeram parte da mesa o presidente da Comissão de Licitação e superintendente de Regulação da ANTAQ, Bruno Pinheiro, a secretária-geral da Autarquia, Joelma Barbosa, o procurador federal junto à Agência, Thomas Almeida, o gerente-substituto de Portos Organizados, Renildo Barros,  o diretor do Departamento de Parcerias do Ministério dos Transportes, Portos e Aviação Civil (MPTA), Fábio Lavor, e o assessor Técnico da Empresa de Logística S.A. (EPL), Dax Rosler.

Com a Coordenação de Comunicação da Codesa