Instalações privadas embarcaram 87% da soja e do milho da Região Norte

Os terminais interiores privados embarcaram 11,310 milhões de toneladas de soja e milho, em 2018, na Região Norte.

Os terminais privados responderam por 87% dos 13 milhões de toneladas de milho e soja embarcados no ano passado pelo conjunto das instalações portuárias que operam na navegação interior da Região Norte. O volume corresponde a 11,310 milhões de toneladas embarcadas das duas mercadorias contra apenas 13% (1,690 milhão de toneladas) dos terminais públicos.

Fonte: Estatístico Aquaviário – Sistema de Desempenho Portuário/ANTAQ.

Os números são do Estatístico Aquaviário, produzido pela Gerência de Estatística e Avaliação de Desempenho – GEA/SDS, da Agência Nacional de Transportes Aquaviários – ANTAQ, e consolidam um aumento expressivo da participação das instalações privadas no embarque da soja e do milho na Região.

Em 2010, a movimentação de grãos no Norte do país era predominantemente feita pelos portos públicos, 71% contra 29% dos terminais privados. O número de instalações também aumentou, saindo de três, em 2010, para dez unidades, em 2018.

As principais instalações privadas que operaram cargas de soja e milho na Região Norte, em 2018, foram o Terminal Portochuelo, de Rondônia, com 3,1 milhões de toneladas embarcadas e crescimento de 39% em comparação a 2017; Hidrovias do Brasil, localizado em Miritituba/Itaituba, no Pará (2,7 milhões de toneladas e queda de 1% em relação ao ano anterior); e Terfron, também localizado em Itaituba, que respondeu pelo embarque de 2,3 milhões de toneladas, representando crescimento de 17% na comparação com o ano passado.