ANTAQ realiza Agenda Positiva com representantes do Cecafé

Reunião aconteceu nesta terça-feira (16) em Brasília   

 Reunião entre ANTAQ e Cecafé: diálogo por meio da Agenda Positiva

A ANTAQ e o Conselho dos Exportadores de Café do Brasil (Cecafé) se reuniram, nesta terça-feira (16), na sede da Agência, em Brasília. Os diretores Mário Povia (geral) e Adalberto Tokarski participaram da reunião. O encontro faz parte da Agenda Positiva que a ANTAQ idealizou para incrementar o diálogo com o setor regulado.

Conforme os representantes do Cecafé, os exportadores do grão pagam algumas taxas “indevidas” aos armadores para embarcar o produto e poder comercializá-lo no mercado internacional. O conselheiro do Cecafé, Luiz Araripe, citou a taxa de logística, por exemplo. “Não está bem claro para que serve essa taxa”, disse Araripe.

Outro questionamento foi em relação ao valor do lacre do contêiner. Segundo os representantes do Cecafé, o preço do produto é de R$ 2,00, porém, os armadores cobram até R$ 32,00. “Para mim, há uma cobrança exagerada”, afirmou o conselheiro.

Araripe informou que são 125 mil contêineres com café exportados por ano. “Pagamos de taxas um valor que alcança R$ 200 milhões por ano, que são retirados do agronegócio do café”, pontuou.

Para o diretor-geral da ANTAQ, Mário Povia, a Agenda Positiva serve para dialogar com o setor, “para que a Agência tome conhecimento de questões que as fiscalizações de rotina não alcançam”. Povia ressaltou, porém, que é preciso fazer denúncias dessas supostas cobranças indevidas para que a ANTAQ analise e veja o que tem cabimento ou não.

“Essas denúncias devem chegar à Agência por quem está pagando a conta. E devem chegar com informações sólidas, bem fundamentadas e comprovações para não retardar o processo”, ressaltou Povia.

Para o diretor da ANTAQ, Adalberto Tokarski, “não há denúncia na Agência que não tenha apuração. A Agenda Positiva é um importante canal de diálogo entre a ANTAQ e o setor regulado”.