Estudo da ANTAQ atualiza a extensão da Vias Aquaviárias Interiores Economicamente Navegadas (VEN) para o ano de 2018

O estudo, desenvolvido pela Gerência de Desenvolvimento e Estudos – GDE da Superintendência de Desempenho, Desenvolvimento e Sustentabilidade – SDS, apontou que a extensão das vias economicamente navegadas no Brasil, em 2018, foi de 18.616 (dezoito mil, seiscentos e dezesseis) quilômetros.

A Região Hidrográfica Amazônica, com 15.014 km navegados, representou aproximadamente 81% do total de vias economicamente navegadas, seguida pela Região Hidrográfica Tocantins-Araguaia (7,2%) e Paraná (6,8%).

Em relação aos dados de 2016, a extensão das vias navegadas teve um decréscimo de 4,4%, passando de 19.464 km para 18.616 km.

A Agência atualiza, bienalmente, desde 2011, a matriz hidroviária de origem e destino (O/D) das cargas e passageiros em trânsito nas vias aquaviárias interiores economicamente navegadas – aquelas nas quais há ocorrência de transporte por Empresa Brasileira de Navegação (EBN) ou empresa estadual, na prestação de serviço longitudinal de cargas, de passageiros, ou misto (passageiros e carga).

Para tanto, a ANTAQ utiliza dados, primordialmente, do Sistema de Desempenho Portuário – SDP, da Agência, bem como do sistema Mercante e da Agência Nacional de Águas (ANA). As simulações para aferição da extensão das vias navegadas são realizadas pelo Sistema de Informações Georreferenciadas da ANTAQ – SIGTAQ.

Ressalte-se que a extensão apurada é estimada, sendo utilizada escala de precisão de planejamento, ou seja 1:1.000.000.

Tais informações tem o potencial de serem utilizadas em suporte à definição de políticas públicas, bem como servem de base para a elaboração de outros estudos, como o estudo “Aspectos Gerais da Navegação Interior no Brasil”, elaborado pela CNT em outubro de 2019.

A versão integral do estudo está disponível em http://portal.antaq.gov.br/index.php/estudos/.