Movimentação do setor portuário registra pequena queda no primeiro trimestre: 1,1%

Informação é do estudo “O desempenho portuário nacional frente à pandemia da Covid-19”, publicado pela ANTAQ

O setor portuário nacional (portos públicos + terminais privados) movimentaram 247,1 milhões de toneladas no primeiro trimestre de 2020. O número corresponde a uma queda de 1,1% em relação ao mesmo período do ano passado. A informação está no informativo “O desempenho portuário nacional frente à pandemia da Covid-19”, publicado nesta segunda-feira (11), no site da ANTAQ.

Nos três primeiros meses do ano, registrou-se um decréscimo na movimentação. Porém, o estudo da ANTAQ ressalta que, em março, a movimentação foi de 89,7 milhões de toneladas, superando em 7,6% o registrado no mesmo período em 2019.

O informativo da Agência traz, ainda, dados sobre importação e exportação. Além disso, destaca a navegação de cabotagem. A movimentação de cargas na cabotagem nacional cresceu 14,9% no primeiro trimestre deste ano, com 62,9 milhões de toneladas embarcadas e desembarcadas em instalações portuárias brasileiras.

Além disso, as operações de embarque e desembarque de contêineres na cabotagem registraram crescimento de 9,3% de janeiro a março de 2020, em comparação com o mesmo período do ano passado, totalizando 7,6 milhões de toneladas movimentadas.

O informativo aponta que há uma grande incerteza sobre a duração da crise sanitária e o alcance de seus efeitos sobre o futuro da economia em geral. “Avaliar adequadamente o comportamento da movimentação de mercadorias nos próximos meses é um exercício bastante especulativo, uma vez que a pandemia do novo coronavírus é um acontecimento sem precedentes nas últimas décadas”, destaca o estudo da Agência.

Porém, o informativo enaltece que, “diante do cenário de apreensão do final de 2019 e o que se poderia esperar para o primeiro quarto deste ano, o desempenho do transporte aquaviário nacional foi surpreendentemente bom. Caso a recuperação percebida no mês de março venha a se consolidar nos próximos meses, o Brasil, como um dos principais exportadores de alimentos do mundo, mostrou neste primeiro trimestre possuir as condições necessárias de planejamento e infraestrutura portuária para manter ou mesmo ampliar sua posição atual”.

Acesse a íntegra do informativo: http://portal.antaq.gov.br/index.php/estatisticas/