meio-ambienteAs instalações portuárias, com destaque para os portos, são estruturas para trânsito de cargas que funcionam como interface entre os transportes marítimo e terrestre, fazendo a ligação entre continentes e entre localidades do mesmo continente. Nesse sentido, demandam áreas abrigadas ou não, com boas profundidades, nas quais se possa realizar o transbordo e prestar outros serviços à carga e à embarcação.

Localizam-se em acidentes geográficos, como baías e estuários, ambientes naturais preferenciais para a localização dessas instalações, embora não sejam essas localidades as únicas procuradas. Há portos operando em rios, lagoas e em mar aberto. Neste último caso, a implantação do porto requer normalmente a construção de estruturas de abrigo.

Além de águas tranquilas, os portos necessitam de fácil acesso terrestre e marítimo, e dependem particularmente das profundidades dos corpos d’água para a consecução de suas atividades. Essas profundidades podem ser encontradas em condições naturais ou obtidas por meio de dragagem ou derrocamento.

No continente, as intervenções fazem parte da rotina de implantação dos portos e instalações semelhantes, como a construção das instalações de armazenagem, circulação, administração, e controle, a implantação de aparelhos de transporte horizontal e vertical de suas cargas, entre outras infraestruturas.

Em linhas gerais, os portos e demais instalações de mesma natureza precisam de:

  • Áreas abrigadas de ventos e correntes;
  • Profundidades adequadas dos corpos d’água;
  • Acessos terrestres e marítimos: canais de acesso, das bacias de evolução, das vias de circulação, etc.;
  • Faixas de cais para atracação ou estruturas semelhantes;
  • Áreas para armazenagem horizontal e vertical, como armazéns, silos, galpões, tanques, etc.;
  • Áreas para pátios e circulação de veículos;
  • Ligações rodoferroviárias; e
  • Espaço para instalações administrativas, estacionamento de veículos e de controle de saída e entrada.